Bárbara Lemos
Follow me

E ASSIM COMEÇAMOS UM CICLO INTENSIVO DE REABILITAÇÃO…

E ASSIM COMEÇAMOS UM CICLO INTENSIVO DE REABILITAÇÃO…

A semana passada foi tão intensa que não tive absolutamente tempo nenhum para escrever… Mas aqui vamos nós!

E assim começamos o intensivo. A Rafinha já está em Braga na clinica CHS-CEI em tratamentos. Iniciou na quarta feira onde foi feita uma reavaliação do ponto de situação em que se encontra, ver o que precisamos mais de trabalhar, os objetivos para as próximas semanas. Como sempre fomos super bem recebidas por todos na clínica e foi engraçado ver que apesar de só ter trabalhado 2 semanas com esta equipa em Setembro, a Rafinha reconheceu a equipa, principalmente a terapeuta Adriana com o seu “Ó Rafinha” com a pronúncia do norte bem marcada 😉 e ver a alegria da Rafinha a ir com elas trabalhar é simplesmente maravilhoso. Acompanhei a Rafa nestes 3 primeiros dias, foi “só minha”. Apanhamos um susto logo ao segundo dia, começou com diarreia tal como da primeira vez (mas sem vómitos e mantendo a boa disposição). Tivemos de reformular toda a dieta alimentar e vigiar continuamente, não podemos correr o mesmo risco. Temos de fazer tudo para correr bem!

A parte difícil desta ida para Braga foi que pela primeira vez separei-me da Kika. Ok, sei que é de mãe super galinha, mas na terça feira quando fui buscar a Rafinha à escola e me despedi da Kika, chorei TANTO que teve de ser a própria Kika a acalmar-me. Que filha responsável eu tenho: “mamã, eu vou-te ligar todos os dias, vou manter a casa arrumada e tu na sexta já cá estás, passa super rápido. Vai cuidar agora da Rafinha e da próxima vez também vou”. Foi a primeira vez em 5 anos e meio que me separei da minha filha! Mas desta vez ela não podia ir, aproximava-se o fim de semana onde tinha o espetáculo de Ballet e a prova de Ginastica Ritmica e tinha ensaios que não podia falhar. Eu sabia que ela ficava bem com o pai, mas fui embora com o coração apertadinho. Um dia falo sobre a sensação de ter de escolher uma filha em detrimento de outra, é terrível…

Mas o pior aconteceu. Logo no dia seguinte a Kika começou com febre. Nunca está doente e logo no dia seguinte adoeceu. Uma virose na escola, mas no meu coração o eu ter vindo embora deixou-me de rastos. Felizmente tem uma educadora e auxiliar fantásticas, deram-lhe muitos miminhos, e o pai fez-lhe as vontades todas e os miminhos todos. Mas eu não estava lá! Senti-me tão mal… Não foi fácil mesmo!

(In)Felizmente, rapidamente se passaram os 3 dias. Na sexta às 14h entreguei a Rafinha para as 3h30 de tratamento da tarde e pela primeira vez ela chorou para ficar. Mas quem chorou mais fui eu… Não por ela estar a chorar mas por eu saber que me vinha embora. Ela não percebe ainda que me vou ausentar, mas custa-me TANTO… Eu sei que ela fica super bem, com a sua querida Mimi, mas da mesma forma que me custou deixar a Kika, também me custou deixar a Rafinha. E voei até Coimbra para ir buscar a Kika ao colégio e poder-lhe dar todos os miminhos que não lhe pude dar. E que corrida quando me viu e que abraço maravilhoso 😉

E assim vai começar amanhã uma semana inteira de tratamentos… Serão 7h de terapias todos os dias, fisioterapia, terapia ocupacional, terapia da fala, ozonoterapia e neurofeedback, num misto de técnicas e métodos que irão potencializar ainda mais as suas capacidades, eu acredito mesmo que sim.

Serei eternamente grata a todos os que nos têm ajudado a conseguir proporcionar estas terapias à nossa bebé. MUITO OBRIGADA, de coração…

 

 

2 Comments
  • Ines ribeiro
    Posted at 00:09h, 14 Janeiro Responder

    Nao consigo ler uma frase do teu blog sem chorar, ou de alegria ou de coracao partido de mae..
    Forca forca .. voces conseguem..

    • Bárbara
      Posted at 00:31h, 14 Janeiro Responder

      Oh.. obrigada.. eu não quero fazer ninguém chorar porque chorona já eu sou bastante 😉 muito obrigada pela força!

Post A Comment